segunda-feira, 27 de março de 2017

Três



Hoje tentei desviar a minha atenção... Fiz a âncora diversas vezes e em algumas resultou, outras, nem por isso.
Para completar o cenário tive uma paragem de disgestão e só a bocado é que deixei de vomitar. 
Dói-me o corpo. Dói-me a alma. Não existe uma parte de mim que não doa. 
Tudo clama pela tua presença. Todo o meu corpo pede que seja devolvida a metade que me foi roubada.
Três anos... Como assim passaram três anos? Hoje ouvi o teu coração pela última vez. Há três anos a minha vida entrou num silêncio, onde falta o teu sorriso, o teu choro, as tuas brincadeiras, as tuas alegrias, que também seriam nossas. 
Daqui há 4 dias fazem três anos que partiste... E porque continua a doer tanto? Porque as saudades me assomam ao peito desta maneira tão avassaladora e cruel? 
Só te queria aqui. Comigo, com o mano e com o pai. 
A minha cabeça sabe que não pode ser, racionalmente, tenho tudo arrumado. 
Mas o coração não. O coração acorda todos os dias com a mesma sensação do dia 01/04/2014, quando nasceste... Todos os dias acordo a pedir a Deus que seja mentira. Que um dia voltas. Eu sei que não é, mas não sei se alguma mãe é capaz de aceitar a perda de um filho com o coração... Nós aprendemos a viver, com a saudade, com a ausência, mas aceitar... Acho que nenhuma mãe aceita. 
Hoje fazem três anos que ouvi o teu coração pela última vez.

Beijinho da mãe, Pipocas... 
Daqui até ao céu!... 🌠

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Dia Dos Amigos


Aprendi, principalmente depois da partida da Nô, do nascimento do Kiko, da depressão e da fibromialgia, que existem vários tipos de amigos... 
Existem os amigos que estão sempre lá, desde a morte da tua filha até as tuas queixas constantes em relação a dores no corpo, que te sentes uma inválida por não conseguir fazer nada. 
Existem os amigos que se mantiveram presentes nos bastidores de tudo... Talvez por não saber o que fazer ou dizer. 
Existem amigos desde o tempo do liceu, que são uma espécie de "tesouro" nosso... Tantos anos se passaram, as nossas vidas mudaram, mas quando os reencontramos, somos as mesmas miúdas que almoçavam juntas e que refilavam das próximas duas horas de Matemática que iam ter.
Existem amigos que foi a dor que nos uniu... Percebem o que sentes, os teus sentimentos mais sombrios, porque também elas passaram pelo mesmo processo de perda que tu. 
Existem os amigos dos copos, que são tão amigos quantos os outros... São os amigos da rambóia! 
Existem amigos que surgiram há pouco tempo na tua vida, mas parece que conhecemos desde sempre... Pena é haver um oceano que nos separa.
Existem os amigos da infância, que conheces há mais de 20 anos... Mas tens o mesmo oceano a vos separar. 

Depois, é saber separar a quem recorrer, consoante a situação que estamos a passar... Única e exclusivamente para não haver decepções e amizades partidas. 
Ninguém é igual. Ninguém está preparado para lidar com todas as situações que nos aparecem no caminho. Isso é também ser amigo... Dar espaço, saber o momento certo de procurar, deixar viver, deixar saber aprender... 

Dito isto, Feliz Dia Dos Amigos! ❤️